quinta-feira, 22 de julho de 2010

Voto: Um Direito ou Um Dever?



Texto de Sarah Farias



Em um país democrático, o voto é a expressão mais soberana da participação de um cidadão anônimo. É um direito. Direito este, que no Brasil, tanto se tentou usurpar do povo.

A democracia brasileira ainda é recente, e, por isso, deveria ser celebrada e entendida como uma grande conquista da geração passada, mas a falta de informação, o esquecimento coletivo, a cultura da corrupção e a promíscua relação entre eleitor e candidato roubam a cena e o que era pra ser comemorado como um direito se resume a um enfadonho dever.

O eleitor que vota por direito, vota com esperança e consciência. Já o que vota pelo dever, o faz por dinheiro, por birra, e quando não, justifica sua ausência de opinião. Se tirar o dever, este tipo de eleitor fica de fora, logo, as eleições, provavelmente, se tornariam mais honestas e transparentes. Por outro lado, reforçaria o comportamento de pessoas inertes que passam pela vida e não constroem nada, para estas, a vida só acontece porque são obrigadas a determinados deveres impostos pelos outros.

Bom mesmo é que todos votem! Tanto por direito, quanto pelo dever. Tanto aqueles que participam ativamente da vida, quanto aqueles que apenas passam pela mesma. Mas para quem não consegue ser indiferente às decisões políticas de um país democrático, o voto, ao mesmo tempo que é um direito é um dever - um dever do direito.


Amém.

Calma! Não vou me candidatar, santuxos. É só uma forma de conscientizar a importância de votar e votar bem!

4 comentários:

Abigail disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bmpelafé disse...

O pior é que tem crente que ao contrario de lutar para abençoar o país, vende o voto, e junto vende a consciência a dignidade e a honra, digo não por especulação mas porque já ví com meus olhos isso acontecer. pra mim isso está no mesmo patamar que dar calote.
Que nas proximas eleições haja uma consciência politica nos crentes, mais voltada para o que é certo.

Eloisa disse...

E o que eu acho impressionante, é que muitos crentes ao invés de votar em um candidato evangélico, vota em um que não é.. tudo bem, respeito a opinião de cada um, mas uma vez ouvi uma mensagem do Pr. Silas Malafaia, onde ele fala sobre essa questão, nós evangélicos representamos 25% do eleitorado brasileiro.
Quando vota-se em um candidato que não é evangélico estamos, colocando uma pessoa que pode dar um voto a favor do casamento homossexual, ao aborto e a tantas outras coisas que a bíblia condena e que é errado, claro que sabemos que existem muitos que são evangélicos, que não se impooem, não votam a favor, mas também não fazem absolutamente nada para mudar a situação. Que Deus tem muita misericórdia dos nossos governantes.

Então que todos se conscientizem, analisem as propostas, procure se informar.. Porque depois não adianta chorar pelo leite derramado !!!!

Eloisa disse...

Só sei de uma coisa:
"No meio de tanta maldição, no meio de corrupção, no meio de tanta violência, Se levanta um povo adorador, se levanta um povo que confiou na promessa de vida eterna...
E do Brasil sairá a promessa de vida.

A promessa é de PAZ Brasil, A promessa é de FÉ Brasil, Você é um celeiro, celeiro de benção para as nações.. !!!!

Que se levante uma grande multidão, que se levante uma nova geração que fará resistência ao mundo."