domingo, 10 de outubro de 2010

Eu bem que disse......



Nos últimos cinco anos, eu venho falando, enfaticamente, nos púlpitos, em casa, com amigos, etc., que iria chegar um tempo no Brasil que NÓS, os evangélicos, decidiríamos eleições!

Eu pensava que iria demorar mais pra acontecer, mas este tempo JÁ CHEGOU!

Confiram trechos -seguidos por meus comentários- da matéria de capa da Revista Época ( que eu não gosto de ler, acho alguns de seus artigos muito tendenciosos em favor à militância lésbico-gay) desta semana, entitulada " Deus Entrou das Eleições" - nossa! Não poderia ter um título melhorrr..adorei!... sobre os efeitos númericos que o povo evangélico promoveu.

Trecho 1

"Foi como se um imperceptível rio de opinião subterrâneo se movesse contra Dilma. Esse rio tirou milhões de votos dela e os lançou na praia de Marina Silva, a candidata evangélica do PV. Segundo pesquisas feitas pela campanha de Marina, aqueles que desistiram de votar em Dilma na reta final do primeiro turno – sobretudo evangélicos – equivaleriam a 1% dos votos válidos. Embora pequeno, foi um porcentual que ajudou a empurrar a eleição para o segundo turno, entre Dilma e o candidato José Serra, do PSDB. Mais que isso, a discussão sobre a fé e o aborto se tornou um dos temas centrais na campanha eleitoral."

Meu comentário: Nós, os evangélicos, estamos nos multiplicando em um ritmo muito acelerado bem debaixo do nariz das autoridades e da mídia, MAS sempre nos subestimaram, sempre nos viram como um povinho..pelo menos até o dia 3 de outubro, então essa Onda Marina foi um presente surpresa, uma bomba, e posso afirmar sem medo, esse "imperceptível rio subterrâneo" foi um divisor de águas para a nação brasileira. hehehhehehe..kkkkkkkk...rsrsrsrrsrr...hahahahhhah

Trecho 2

"Agora, atônito, o mundo político discute que tipo de efeito a discussão sobre valores religiosos terá sobre a votação de 31 de outubro. E como ela afetará o Brasil no futuro.
...a elevação do padrão de vida dos pobres e a superação das necessidades elementares de sobrevivência podem ter começado a abrir espaço para aquilo que, em democracias mais maduras, é conhecido como “agenda de valores”. Ela reúne temas como fé, aborto, eutanásia, ensino religioso, casamento entre homossexuais ou pesquisas com manipulação genética. “Ninguém mais vai se eleger para um cargo executivo facilmente com um programa que prevê a legalização do aborto”, afirma Ary Oro, estudioso de religião e política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. “É impossível ignorar a força numérica, demográfica e eleitoral da religião.”

Meu comentário: A - T- Ô - N - I - T - O - S? Eu ouvi isso? Me belisca! Me belisca! É disso pra pior! Daqui pra frente, o GOVERNO vai pensar duas ou mais vezes entes de dizer não a uma reunião evangélica; antes de divulgar patrocínios titânicos à Parada Gay; antes de subir nos trios das Paradinhas Gays na Av. Paulista; antes de tirar o ensino religioso das escolas públicas ( ainda mais quando eu me formar em Pedagogia..rsrsr); antes de dizer que a nossa Bíblia não vale nada ou é um livro homofóbico.....

Trecho 3

"Menosprezar esse efeito foi um dos erros cometidos pela campanha da candidata Dilma Rousseff, do PT."

Sem comentários.

Fonte: Revista Época
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI178518-15223,00-A+FE+ENTROU+NA+CAMPANHA+TRECHO.html

2 comentários:

Elisyanne disse...

[AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA] sem comentáriios mesmoo. Tbm vou fazer pedagogia. =D

Murilo Flores Correia disse...

Agora "eles vão ter que nos egolir!" rsrsr.
O bom é que já temos alguns representantes lá dentro, temos que cobrí-los com intercessão e fazer nossa parte votando certo e emitindo nossa opinião, como você tem feito aqui.
Paz.